POR QUÊ E PORQUÊS.

 

POR QUÊ ….? 

GUERRA CHINESA 1

Precisamos lembrar que o  ser humano jamais alcançará a igualdade, a fraternidade e nem mesmo a liberdade espontâneas, duradouras e que venham a transformar o mundo em um bloco de paz, e muito menos de igualdade, repito.

O Comunismo dito moderno começou em 1917. Era uma linha de fundo filosófico-político onde alguns líderes do mundo e não só em Moscou. A igualdade era o alicerce teórico. A ditadura, o prédio em gestação.  A ditadura em nascimento se consolidou em um regime criminoso, onde qualquer dissidência implicava na morte do oponente e em muitas vezes, de ex-colaboradores e gestores do processo.

A Rússia Soviética foi o primeiro país de regime comunista. Tornou-se ela modelo-padrão para muito países e pequenos, mas barulhentos líderes. Lenin,Trotski, Kamenev e Stalin foram elevados à categoria de deuses que salvariam o mundo e a humanidade e tornariam o povo do mundo um só conjunto, onde o pão e o mel estariam nas mãos de todo os seres humanos e onde o cordeiro e o lobo poderiam conviver em paz.

A Revolução Francesa, nos anos de 1793 e 1794 exercitou terrível experiência em  momentos de alta agressividade contra o povo, em especial. As matanças de setembro registraram milhares de mortes por amotinados com a instituição de Comitês de vigilância, na verdade de delação e  da guilhotina , que matou 2.625 pessoas em Paris e 16.600 em toda França. Francois Furet nos escreve que o “ Terror é o governo do medo, que Robespierre teoriza como governo da virtude. O objetivo maior (teórico) era exterminar a aristocracia, submeter os malvados e combater o crime (com muito mais crimes). Líderes que buscavam o poder alegavam que “ uma República só poderia  existir se  formada por homens livres e jamais com pervertidos de passado condenável. Só assim se criará um homem novo”.

O lema francês, e também russo, era : “Para punir os inimigos da Pátria, é suficiente saber a sua identidade. Não se trata de castigá-los, mas de destruí-los”. O próprio Marx tratou do papel da violência na História, embora não preconizasse o uso dela de forma generalizada e sim em alguns casos específicos e até especiais de forma a assustar os opositores e dominar o poder de forma mais fácil.  A duríssima repressão de Paris (Comuna) eliminou mais de 20 mil pessoas, muitas morreram sem saber porque. Os socialistas alemães , os mais organizados da Europa, nas vésperas de 1914, já eram cerca de um milhão de filiados com centenas de deputados, representantes nas ‘landtag provinciais, 12.000 vereadores e quase uma centena de jornais diários. O socialismo se espalhava  no século XIX como uma praga, talvez como sendo uma esperança de um mundo novo, o que era prometido pelos líderes da época. Os Estados Unidos, a Inglaterra e a Holanda experimentavam este futuro e amargo remédio. O socialismo e o comunismo foram remédios amargos trazidos pelas guerras ao mundo dos humanos. Francois Furet afirma: “A guerra é o estado político mais estranho do mundo da cidadania. Ela legitima a violência e o desprezo do indivíduo pelo indivíduo, enfraquece a cultura democrática e gera a servidão.”

E os por quês dão lugar a porquês,  mas a nada respondem e só se ouve o silêncio….

 

II GUERRA MUNDIAL 2

Artigos relacionados

Deixar resposta