O BISPADO DE RIO PRETO E A CATEDRAL

A  HISTÓRIA DO BISPADO DE RIO PRETO E SUA CATEDRAL 

CAPELA ANTIGA RIO PRETO

O Bispado de São José do Rio Preto comemora no dia 25 de janeiro de 2019 seus 90 anos de criação. Foi o Papa Pio XI que expediu a Bula Papal criando o bispado, nomeando o bispo Dom Lafayete Libanio como bispo em 8 de agosto de 1930, tomando posse oficial em 27 de novembro de 1930 e ficando no cargo até 1966. O trabalho preparatório foi feito pelo bispo de São Carlos D. José Marcondes Homem de Mello. A história começou bem antes, quando em 3 de junho de 1925, comissão especial geral foi criada e  formada pelos senhores Dr.Alceu de Assis, prefeito, Dr. Prisciliano Pinto de Oliveira, presidente da comissão e Dr. Justino de Carvalho, secretário., bem como os senhores José Nouval, Contador da Câmara de Rio Preto e Sr. Sylvio Culturato, guarda-livros. Esta comissão visitou as 15 cidades que fariam parte do bispado montando, em cada uma delas, uma subcomissão.

Já em fevereiro de 1925, D. José Marcondes Homem de Mello formava comissão de católicos para levantar fundos para formar o patrimônio do Bispado a ser criado, que seria composto da Catedral, do Palácio Episcopal  e do Seminário. Tratou em seguida da construção das obras da Matriz, iniciada pelo padre Joaquim Antonio do Carmo em 1912, que foi denominada de Catedral de São José, só concluída em 1932, pelo monsenhor Gregório Nafria, também responsável pela construção do Seminário Diocesano.

A chegada do bispo D.Lafayete Libânio a Rio Preto foi através de trem da EFA no dia 22 de outubro de 1931 e foi recebido pelo prefeito João Augusto de Pádua Fleury e grande multidão, sendo orador do evento o advogado Luiz Nunes Ferreira Filho. Depois vieram os bispos D. Joswé de Aquino Pereira, o bispo D. Orani João Tempesta, depois asumiu o padre Aristides Vendramini, interinamente, seguindo-se  a nomeação de D.Paulo Mendes Peixoto e D.Tomé Ferreira da Silva.  Recentemente o Bispado de Rio Preto teve criação do Bispado de Votuporanga, por desmembramento.

 

Consta que a primeira capela foi construída pelo senhor Antonio Carvalho e Silva e seu filho Luiz Antonio da Silva em 1855 e executada por Manoel Pompeo e José Pedro do Nascimento. Foi abençoada em 1857. Em 1890 foi ampliada ali permanecendo por 33 anos. Em 1911 foi decidida pela demolição da referida capela. Por ordem do Arcebispo de São Carlos, foi ordenada a demolição e a matriz foi botada abaixo em 15 de abril de 1912. Em 26 de maio lançou-se a pedra fundamental da nova Igreja Matriz e a construção iniciada em 5 de fevereiro de 1913. A obra foi abençoada em 4 de setembro de 1914 pelo arcebispo D.José Marcondes Homem  de Mello e que teve várias interrupções. Em 1925 as obras foram retomadas e só concluídas em 1932 pelo monsenhor Gregório Náfria. Vergilio Bonvino foi o mestre de obras.

catedral antiga

Em 6 de julho de 1973, o padre Santo Marini apresentou aos fiéis o projeto de uma nova catedral com grande manifestação contrária da comunidade católica e intelectuais da cidade, vencendo a palavra do então bispo D. José de Aquino Pereira. Era prefeito o senhor Adail Vetorazzo ( 01.02.1969 a 31.1.1973). Em 1975 foram iniciadas as obras da atual Catedral sob a responsabilidade de Victor Pelaez e José Luiz Spotti, até hoje inacabada (inclusive sem a torre principal).  O Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico – IHGG- de São José do Rio Preto está retomando proposta da criação do Museu Sacro de São José do Rio Preto de forma a reunir, num acervo único, toda a documentação e restos da antiga catedral que estão depositados no subterrâneo da atual catedral ( relógio, cruz, confessionários, poltronas, etc) e com isto preservar a história local. O IHGG está fazendo construir uma  maquete da antiga catedral, escala 1×100,  que será exposta em vários lugares da cidade e com isto despertar as forças vivas da cidade pela preservação de nossa história e do acervo patrimonial que enriquece a comunidade rio-pretense.  O IHGG desenvolve expedientes para que  a maquete seja usada nas comemorações dos 90 anos do bispado de São José do Rio Preto a  acontecer em janeiro de 2019.

Preservar é o oxigênio que mantém viva a História.

.                                      CATEDRAL DE RIO PRETO - B                      CATEDRAL - NOVA

 

agosto de 2018.

PROF.  DR. ANTONIO CAPRIO

PRESIDENTE DO IHGG/COMDEPHACT/RIO PRETO

Artigos relacionados

Deixar resposta