SIMBOLOGIA HUMANA

SÍMBOLOS   &  MISTÉRIOS.

 

fé

Um dos símbolos mais citados no mundo é a cruz, inclusive e especialmente na Heráldica, disciplinadora das bandeiras e brasões. É objeto de grande curiosidade simbolística mundial.

A cruz é um símbolo interessante. Formada por dois traços, um na vertical e outro na horizontal, originalmente tem os dois elementos de um só tamanho e divide o círculo  em quatro partes. É a cruz grega. Estabelece proximidade com o quadrado e quatro linhas retas, com os pontos cardeais e os quatro ventos. Representa a sorte para quem o porta. É o símbolo cristão que lembra a fé e a Santidade e reporta à morte de Jesus, como base do suplício do Cordeiro. Era utilizada desde os tempos neolíticos, depois pelos egípcios, gregos, celtas e astecas. A cruz virou símbolo cristão a partir do século IV, embora Cristo tenha sido martirizado numa coluna e não em uma cruz, já que o condenado levava apenas a parte horizontal e a vertical ficava no local da parte final da execução, o Gólgota ( Atos 5:30; Atos 10:39).  Foi o Imperador Constantino que promoveu a cruz como símbolo do Cristianismo. Antes disso era usada pelos egípcios para representar a ligação de duas dimensões: a humana e a celeste. Ela era a representação visual do ponto no qual o homem e Deus se tornam um.

 A cruz Latina tem quatro quadrados na vertical e três na transversal, cortando o segundo quadrado da vertical e tinha no centro do quadrado dois, da vertical, um ponto central. É chamada popularmente de crucifixo. A cruz com um circumponto no meio é um símbolo binário, ou seja, dois símbolos unidos para formar um só. Quando se vê a cruz grega ou latina representada com um círculo em sua volta, está simbolizando o Sol, o circumponto Deus, na antiguidade egípcia Rá e o próprio ciclo da natureza.

O circumponto – um símbolo universal de Deus – tem uma gama de significados exotéricos, e um dos mais conhecidos é a rosa que é um símbolo alquímico da perfeição. O uso da rosa representando a virgem Maria do catolicismo é exatamente o da perfeição. Quando usada a cruz com quatro quadrados na vertical, três na horizontal e no lugar do circumponto se instalando a rosa, temos a rosa-cruz, um símbolo comum na franco-maçonaria. Atribui-se a Christian Rosenkreuz, um místico alemão, a criação da Ordem Rosa-Cruz. Dezenas de ilustres cientistas, nas varias modalidades culturais do mundo antigo, pertenceram à Ordem Rosa-cruz, ou originalmente chamada de Antiga e Mística Ordem Rosae-Crucis, destacando-se Leibniz, Pascal, Spinoza, Bacon, Paracelso, Isaac Newton , John Dee, Robert Fludd, Descartes e muitos outros.

Judeus, Muçulmanos, budistas, hindus e muitas outras religiões não tinham um nome para Deus, e o crucifixo surgiu como um símbolo cristão a partir do século IV, embora usado pelos Egípcios como representação do deus Rá, em razão do circumponto e das representações divinas( haste vertical) e humana(horizontal). Fechando-se a figura do crucifixo( quatro quadrados na vertical e três na horizontal) temos o cubo, representação matemática-geométrica da perfeição e da união de Deus com o Homem. Apenas a título de curiosidade, a expressão Jeova Sanctus Unus (Jeová é o Deus Único) é um anagrama, com 16 letras, que redirecionadas resultam em Isaacus Neutonuus – Isaac Newton, um dos maiores nomes dos Grandes Mistérios do mundo antigo.

CRISTIANISMO
                         A CRUZ LATINA

Artigos relacionados

Deixar resposta