O HOMEM

O homem e seu destino

EMBRIÃO COM 3 MESES
O ÚTERO HUMANO

O homem nasceu sem nenhuma influência de divindades. Em seu meio foi formando sua intelectualidade. Adquiriu conhecimentos. Descobriu a Matemática na natureza  e fez dela importante ferramenta que, aliada à Ciência, transformou a  Terra em seu habitat  e nela construiu seu império. Galgou o espaço e entre as estrelas já impõe seu domínio.

Na Terra, criou seus deuses, suas lendas, suas religiões, seus ritos e, da ação natural de seus genes, impôs divindades e, de novo instituiu seu domínio sobre os homens, e sobre eles construiu seu império financeiro criando e vendendo armas poderosas, se auto impondo neuroses, formulando substâncias químicas para tornar seu corpo mais poderoso, e por consequência, dependente e submisso.  Organizou conjuntos de livros aos quais chamou de sagrados, adotou outros de várias lavras atribuindo-os a um Ser Superior que teme e até manipula entre os seus e os chamou de Testamentos.

fé
                SÍMBOLOS RELIGIOSOS

Tecnólogo com poder elevado de criatividade, criou máquinas para tonar seu fardo mais leve e, com elas, transformou, com a ajuda de sua mão privilegiada e extraordinário cérebro, materiais naturais e criados para tornar sua lide como que superpoderes tivesse. Aventurou-se  no uso do átomo buscando torná-lo seu escravo e dele extraindo a energia de que necessita para tornar seus sonhos em realidade e  em pesadelos de muitos e até de nações inteiras.

A mensagem, antes meras nuvens de fumaça, foi levada a escalas superpoderosas e até consegue colocar seus olhos nas distantes formas do Universo que anseia conhecer sem parar para satisfazer seus anseios de domínio. Em brevê viajará por estes caminhos infindáveis e tentará levar seu desejo de tudo dominar e submeter às suas vontades e crises de poder continuadas.

Na representatividade, existente há milênios, fez da política um meio de domínio poderoso. O representado representa mas não aceita dependência do representando. Aufere vantagens para si e seus satélites e enriquece como que merecedor de todas as láureas. Corrompe e é corrompido. Raras as exceções.

Este o homem de ontem e de hoje. Não se sabe se do amanhã que ele parece querer destruir. A liberdade é um estranho poder, pior do que o mais forte ácido que corrói o próprio frasco que o protege.

Será que o livre arbítrio veio para o bem ?

ASTRONAUTA 2
                        ASTRONAUTA

Artigos relacionados

Deixar resposta