OS GENOCÍDIOS

OS GENOCÍDIOS

II GUERRA MUNDIAL 2

Há quem aposte que os genocídios e as guerras são instrumentos úteis para o equilíbrio da quantidade de humanos no planeta. A  Ciência, a Medicina esticam a vida; a guerra mata, e em especial jovens. Vejamos:

1. De 1975 a 1979, morreram 1,7 milhão na guerra do Camboja. O maluco de plantão era Pol Pot. A ação era contra os intelectuais, professores e jornalistas, tipos considerados “perigosos”.

2. Joséf Stalim (1879-1953), pós II Guerra Mundial, mata mais de um milhão de alemães obrigando-os a caminhar, a pé, para seu país de origem. Só na Polônia foram mortos mais de 1 milhão  de alemães. Stalin forçou a Ucrânia e o Cazaquistão a exportar todos s seus alimentos, matando os nativos de fome. Populações inteiras foram desalojadas na Sibéria.

3.  De 1915 a 1923, na Turquia, morreram entre 2 e 2,7 milhões de pessoas. Morreram  de 1 a 1,5 milhão de armênios e 750 mil assírios. Gregos e curdos morreram por inanição.

4. Em 1971, em Bangladesh, morrem entre 2 e 3 milhões de pessoas, derivada da separação do Paquistão e Índia, em 1947, deflagrando lutas entre muçulmanos, hindus e sikhs. Piorando em 1971 a coisa esquentou quando o leste do Paquistão pretendeu se tornar num estado independente.

5. No Congo Belga morreram entre 5 e 6 milhões de pessoas. O rei belga Leopoldo (1835 a 1909) massacrou a população e escravizou enorme quantidade de homens ara trabalhos escravos na extração da borracha.

6. Na Ásia Central, no século 14, 17 milhões de mortos sob as ordens do mongol Tamerlão (1336-1405), pretendendo resgatar a glória de Gengis Khan, partindo da Turquia, massacrou os povos dominados no Oriente Médio, n Ásia Central e na Mongólia. Morreu 5% da população mundial da época.

7. De 1939 a 1945 morreram 17 a 20 milhões de pessoas na Europa, A Alemanha de Hitler dizimou cerca de 6 milhões de judeus e 10,5 milhões de eslavos, com morte implacável aos gays, ciganos, romenos e sérvios.

8. Um dos maiores demônios humanos foi Gengis Khan na Ásia e Leste Europeu. Sob seu comando morreram cerca de 40 milhões de pessoas no século 13. Queria uma confederação mongol e não conseguindo matou chineses, coreanos e afegãos, incendiando vilas inteiras. Guernica, na Espanha, registra enorme número de mortos causando estupefação no mundo e aos olhos de Pablo Picasso.

9. Outro foi Mao Zedong (1893-1976), liderando o ‘ Grande Salto Adiante” que pretendia transformar a china numa potencia industrial. O colapso de suas ideias matou mais de 40 milhões de pessoas de fome. Entre 1966 e 1969 nova investida chamada de “Revolução Cultural” matou minorias, seguidores de outras religiões, cidadãos delatados sem critério e ditos questionadores do regime.

10. Hafez al Assad, ficou no poder na Síria por mais de 30 anos. Milhares de pessoas morreram sob seu domínio. Morreram milhares de pessoas em 1982 na insurgência islâmica. Seu filho Bashar a Assad está no poder desde 12.6.2000. Enfrenta fortíssimas resistências internas e de grupo denominado Estado Islâmico. Já são mais de meio milhão de mortos, mais da metade civis, cerca de 130 mil detidas, mais de 4 milhões de sírios refugiados, inclusive árabes, para a Europa. Estados Unidos e Rússia se postam em ambos os lados como que defensores do poder e, na verdade, grandes vendedores de armas.

Este o mundo, em dez pinceladas. Este o pano de fundo da História Humana. Esta a ‘sociologia terrestre’. Este o retrato do Humanismo planetário. O Homem é o maior parasita do planeta. É um vírus perigosíssimo que poderá tornar a Terra num torrão mineral sem vida.

GUERNICA - DE PABLO PICASSO

 Guernica – de Pablo Picasso. 

Artigos relacionados

Deixar resposta